DICAS FUNDAMENTAIS PARA QUEM QUER TRABALHAR NO EXTERIOR

contact us



Muita gente tem buscado sair do Brasil nos últimos anos, por inúmeras razões. E mesmo que a pessoa não deseje morar fora permanentemente, é inegável que uma experiência de vida fora do país enriquece a vida (e o currículo) de qualquer um – e, com sorte, a conta bancária também.
Porém, há muitos fatores que devem ser levados em consideração antes de uma decisão dessa magnitude. Pensando nisso, o Instituto Mindset elaborou este artigo repleto de dicas para quem quer trabalhar fora. Bora arrumar as malas?

Iniciando a Papelada

O primeiro passo é saber qual, exatamente, são as barreiras legais que você encontrará para trabalhar no país que desejar. Você precisará ou de um visto ou de uma permissão de trabalho, caso já esteja de trabalho arrumado antes de sair do país. Também é imprescindível analisar a validade deles e se eles estão ligados à empresas ou se lhe darão um certo nível de autonomia até precisar renová-los. Isso é importante para você poder planejar sua vida fora do Brasil.
Além dos esperados passaportes e vistos, também é possível que você precise validar o seu currículo para o exterior, como ocorre, por exemplo, com Portugal.
Como para cada país os documentos requeridos costumam variar, uma das melhores opções é consultar o consulado do país desejado para perguntar quais seriam esses documentos.

Dupla cidadania

Se você for descendente de estrangeiros (por exemplo, europeus), é possível que você esteja qualificado para possuir dupla cidadania.
Ela pode lhe propiciar muitas vantagens. Tendo uma cidadania europeia, por exemplo, é possível que você more na Europa sem necessitar de visto. Naturalmente, isso se aplica tanto para trabalho como para turismo.
Há mais papelada ainda envolvida neste caso, como precisar correr atrás das certidões de nascimento, casamento e óbito (caso aplicáveis) de seus parentes em questão, além de uma taxa para poder receber o benefício, mas ela costuma agilizar bastante o processo se você puder utilizá-lo.

Estude a cultura local

Independentemente de você mudar de país permanentemente ou trabalhar algumas temporadas fora do Brasil, é necessário estar familiarizado com a cultura do país para onde você mudará – afinal, por algum tempo que seja, ele será o SEU país.
Para tanto, é imprescindível conhecer pelo menos alguns dos costumes locais, e falar no mínimo inglês (pelo menos para a maioria dos destinos – afinal ela não é conhecida como língua universal sem motivo) – e é recomendado, naturalmente, falar a língua nativa do local, caso não seja o inglês.
Quanto melhor você tiver a cultura assimilada até mesmo antes de se mudar, melhor será sua estadia, pois será mais fácil se adaptar ao seu novo cotidiano.
Um ponto também imprescindível a se estudar da cultura local é o custo de vida. É necessário se programar e saber quanto tempo você poderia passar no país dependendo de sua situação – se você está indo para lá de emprego garantido, se irá procurar algo quando chegar, e como isso afetaria as suas finanças.

Use e abuse das redes sociais

Caso você prefira ter algo acertado antes de se mudar, uma das melhores alternativas é promover seu currículo nas redes sociais procurando interessar empresas do exterior. O Linkedin é uma excelente pedida, embora não seja a única.
Há alguns passos a serem seguidos para melhorar suas chances, tais como cadastrar o currículo em inglês e mantê-lo sempre atrativo e atualizado; além de seguir páginas e publicações da área em que se deseja trabalhar, comentando em atualizações e notícias que sejam relevantes, e, principalmente, fazendo o famoso “networking” – basicamente, sua rede de amigos dentro da rede social.
Conhecer e trocar ideias com americanos caso você deseje ir trabalhar nos Estados Unidos, por exemplo, é um passo praticamente fundamental.
Estas dicas não precisam ser aplicadas apenas ao Linkedin, claro – ajudariam com qualquer outra rede social para este fim.

Os países que mais empregam brasileiros

Existem alguns países que são conhecidos por sua alta taxa de adesão à imigrantes. Alguns deles já são favoritos dos brasileiros que moram fora. Dentre eles:
– Canadá
– Nova Zelândia
– Austrália
– Alemanha
– Irlanda
O mais interessante é que o Canadá possui um questionário gratuito que avalia quais são as suas chances de conseguir mesmo trabalhar no país. Uma mão na roda, não? Confira abaixo o link– lembrando que está todo em inglês, claro:

https://www.immigration.ca/free-immigration-evaluation-forms

A União Europeia também disponibiliza um portal de busca de empregos, caso você deseje aportar por lá:

https://ec.europa.eu/eures/public/pt/jobseekers-dashboard

Existem muitas agências de emprego internacionais que disponibilizam vagas para o mundo todo na internet, também, e que poderiam ajudar você a encontrar um emprego fora do Brasil. Apenas fique atento para os termos de serviço e que tudo esteja de acordo com ambas as partes antes de buscar trabalho por elas.
Com estes passos, imaginamos que suas ideias em relação a trabalhar fora estejam mais organizadas. Sempre lembrando que para aprender o inglês essencial, não importa para onde você mude, conte sempre com o Instituto Mindset. Estamos preparados para atendê-lo presencialmente ou à distância.

Finalmente, é importante lembrar que você também pode aprender mais sobre como se preparar para uma vaga de emprego clicando aqui.

Assim como sobre como mandar bem em uma entrevista de emprego em inglês, clicando aqui.

E você, em que país gostaria de trabalhar?

Quer saber mais sobre nossos cursos?

Quer saber mais sobre nossos cursos?



Home >

Conheça o Instituto

em um dos cursos?

Agende sua reunião gratuita!






X

Conheça o Instituto

Agende sua reunião gratuita!
Agendar minha reunião
Teste seu inglês!
Venha testar seu nível de inglês
Saiba mais! X