TÉCNICAS PARA CONSTRUIR UM VOCABULÁRIO SÓLIDO EM INGLÊS

contact us



Tentar aprender um novo idioma pode ser uma tarefa intimidadora. Para muitos, às vezes parece até que a língua sonhada é como um tapete que se estende ao infinito.
 
Mas, como não poderia ser, aos poucos essa tarefa sai do “praticamente impossível” e vai se tornando mais palatável. Neste artigo, o Instituto Mindset preparou algumas técnicas para você construir um bom vocabulário em inglês – e pode ser bem mais fácil do que parece.
 

Vamos por partes

Um jeito simples de começar a aprender palavras novas é por contextos. Por exemplo:
 
– se falarmos de um assunto que seja “people”, ou seja, pessoas, nós devemos pensar em um vocabulário que nos remeta diretamente a isso. Já nos vem à cabeça, então: name (nome), person (pessoa, no singular), kid (criança), teen (adolescente), adult (adulto), mother (mãe), father (pai), etc.
 
– do mesmo modo, se falarmos do assunto “pets” (animais de estimação), nos viria à cabeça dog (cachorro), cat (gato), bird (pássaro), rabbit (coelho), etc.
 
– para “places” (lugares), teríamos school (escola), house (casa), hospital, city (cidade), neighborhood (bairro)…
 
Ou seja, podendo pinçar aos poucos assuntos específicos, há uma facilidade maior para poder absorver as palavras para aprendermos como se fala o que no idioma.
 
Faça o seguinte: pense em um contexto como “human organs” (órgãos humanos). Será que você já sabe dizer baço, rim e fígado em inglês?
 

Verbos irregulares

 
Em inglês, um dos problemas mais recorrentes com os aprendizes são os verbos irregulares. Os verbos regulares são simples de serem recordados: eles terminam em “ed”. Por exemplo, o verbo “to watch” é “assistir” no presente. No passado, é “watched”.
 
Porém, o verbo “to see”, “ver”, não é “seed” – é “saw”. Como distinguir?
 
Geralmente, é mais por memorização do que qualquer outra coisa. Mas existem alguns métodos para facilitar isso, especialmente para iniciantes. Um dos mais úteis é ir pelos assuntos que você mais fala.
 
Por exemplo, se você lida com compras e vendas regularmente, certamente o verbo “buy”, comprar, é parte corriqueira de seu vocabulário. E nesse caso, você já deve saber que não existe o verbo “buyed”, e sim “bought”. Assim, fica mais tranquilo você já fixar os verbos que mudam forma e não são apenas fixados com “ed” no final.
 
Como vivemos na era da internet, também pode calhar fazer uma lista de verbos que você use bastante e adicionar “ed” ao fim de todos eles; e aí tirar a dúvida sobre qual forma é a correta procurando em dicionários online ou no Google. Também irá ajudar a sua intuição conforme você for aprendendo as formas dos verbos. E você vai treinando o olho sobre a quais verbos a forma irregular se aplica, e a quais ela não é necessária. 
 

The language next door (A língua vizinha)

 
Uma das vantagens do inglês às outras línguas é que, como é uma das línguas mais faladas no mundo todo, não é difícil ter contato com ela. Logo, a prática torna-se algo muito fácil para nós, sem precisar “caçar” conteúdo específico.
 
A associação entre as palavras é bastante simples se você estiver em contato com a língua. Por um exemplo, se você estiver vendo um filme ou jogando um videogame legendado. Como o inglês é tão onipresente em nossas vidas, não fica difícil conseguir associar as palavras sendo faladas com as legendas que nós vemos na tela. Assim como “cachorro”, a palavra “dog” se cristaliza mais facilmente se for associada à imagem do animal.
 

A prática leva à perfeição

 
Além dos exemplos que demos, é muito importante você não só receber conteúdo, passivamente. Você precisa ativamente tentar dar forma a tudo que você está absorvendo. Dessa maneira, é extremamente proveitoso você tentar soltar o inglês de dentro de você conforme amplia seu vocabulário. Além de anotar verbos irregulares, também é necessário que você comece a formar frases, para que esse vocabulário solto e aparentemente sem ligação comece a se ligar no domínio da língua.
 
Como a relação com o cotidiano é muito eficiente para turbinar o seu aprendizado, uma das melhores formas de lapidar o seu conhecimento é começar a tentar fazer pequenas frases ou textos falando de seu cotidiano ou daquilo para o que você deseja aprender em inglês. E, se possível, treinar com alguém também a fala, seja ao cara-a-cara ou pela internet.
 
Isso é bastante necessário pois, conforme enfatizado acima, o vocabulário é o seu conhecimento “inerte”, parado; um volume de informações. Praticar, criar frases, falar com pessoas, dinamiza esse conhecimento e abre um leque de novas palavras que você precisa para ligar essas que você já memorizou.
 

Pensando nos exemplos lá do início, você sabe que “people” pode puxar as palavras “adult” e “kid”. Mas onde moram as pessoas? Em casas, “houses”, e apartamentos. Então como ligar tudo isso?

“Adults and kids live in houses and apartments.”
 
“Adultos e crianças moram em casas e apartamentos.”
 
Percebeu? “Live” é o verbo viver, e temos depois “in” e o artigo. E assim, você é capaz de fazer com que os substantivos “tomem vida” ao invés de permanecerem parados.
 
Bem, estas foram apenas algumas pequenas dicas para construção de vocabulário – há muito mais além disso para fixar o seu aprendizado de inglês.
 
Então venha conhecer o Instituto Mindset que nós vamos contar tudo para você!

Quer saber mais sobre nossos cursos?

Quer saber mais sobre nossos cursos?



Home >

Conheça o Instituto

em um dos cursos?

Agende sua reunião gratuita!






X

Conheça o Instituto

Agende sua reunião gratuita!
Agendar minha reunião
Teste seu inglês!
Venha testar seu nível de inglês
Saiba mais! X