SOBRE O COBIÇADO INGLÊS NO EXTERIOR

contact us



Sobre o cobiçado inglês no exterior

 

Desde que os programas de intercâmbio surgiram com mais força, a partir da década de 80, eles se diversificaram muito. Até mesmo o conceito mudou. A princípio, tratava-se da troca mútua de jovens entre países – um japonês vinha para o Brasil e um brasileiro ia para o Japão, por exemplo. Vamos ver neste texto como os programas se diversificaram, principalmente para aprender inglês. E falar sobre as opções mais quentes do momento para profissionais adultos em busca de alavancar suas carreiras.

 

Conceito e diversificação

No começo, os dois intercâmbios clássicos eram o educacional e o cultural. O primeiro era mais longo – de 6 meses ou 1 ano -, e o viajante (geralmente um estudante adolescente) fazias um ano do ensino médio, tradicionalmente. O segundo podia ser mais curto e era focado na aquisição de conhecimentos culturais do país de destino: como vivem as pessoas lá, a organização da sociedade, de que forma estudam e trabalham, etc. Instituições como o Rotary Club tinham um papel central nessa área. Mas esses eram tempos pré-revolução digital.

Hoje em dia, as instituições estão realizando contato direto com clientes. A crescente facilidade de ir ao exterior fazer um curso de inglês eliminou essa questão da troca de estudantes. Elas organizam não somente cursos variados, como também a estadia e as atividades culturais. Além do ensino médio (high school), há programas específicos para o inglês e também cursos de pós-graduação e MBA para profissionais de carreira.

Ponto comum entre essas possibilidades todas é a procura pela língua inglesa. Percebemos três fatores preponderantes nessa busca. O primeiro é a exclusividade de uma habilidade importantíssima: temos apenas cerca de 3% de falantes fluentes de inglês no Brasil. O segundo é que os profissionais estão cada vez mais preocupados em dominar o idioma e expandir seus horizontes. E o terceiro é que a ideia de ligar o aprendizado do idioma ao avanço acadêmico e profissional, num único curso, tem atraído os olhares de todos.

Vamos ver algumas opções para esse investimento.

 

Opções do momento

Selecionamos três exemplos de instituições que estão oferecendo opções interessantes de intercâmbio em inglês. Na EC Partners, há cursos voltados para jovens e adultos, com programas especiais +30, para quem já passou dos 30 anos de idade. No caso dos cursos +30 de Londres, a nacionalidade mais presente é a brasileira, com 22% dos estudantes.

Entre os cursos mais voltados a profissionais, estão o de Business English e o English for Work. Mas há também os cursos de General English, cursos individuais e voltados para o turismo. O tempo de permanência também é variado. No caso do General English, é possível optar entre 10 e 52 semanas.

Os destinos possíveis são: EUA, Canadá, Reino Unido, Malta, África do Sul, Irlanda, Nova Zelândia e Austrália.

Para quem está mais interessado em pós-graduação e MBA, há instituições como London School of Business and Finance. A instituição oferece um bom cardápio de cursos voltados aos negócios. Entre os exemplos, estão Executive Education, cursos profissionalizantes em diversas áreas, e empreendedorismo. Também há programas de graduação e cursos online.

E o Instituto Mindset, em parceria com outras instituições, também oferece esses serviços. Ao entrar em contato com esse objetivo, o estudante recebe todas as orientações necessárias para tomar a melhor decisão para si.

E por falar em orientações, vamos falar de algumas importantes coisas a ter em mente para a sua preparação.

 

Preparação e planejamento

A ideia de fazer um curso no exterior pode intimidar. Um país desconhecido, a burocracia da viagem, as responsabilidades que ficam no Brasil, os custos, o aproveitamento do curso, tudo isso gera desconforto. É por isso que é importante fazer uma preparação correta.

 

O fator tempo

Não é uma decisão para o mês que vem, mas para daqui a 6 meses ou um ano. É o tempo que você precisa para aprender tudo o que você precisa sobre a sua viagem. Preparar o bolso, escolher o curso, tirar o visto, acertar a sua acomodação e o tempo de permanência. Além, é claro, de garantir que as coisas não estarão de cabeça para baixo quando você voltar.

 

O inglês

É importante ter um inglês bom o suficiente para travar uma interação em nível mais alto durante o curso e nas experiências em geral. Isso é especialmente verdadeiro para quem vai pelo MBA ou curso de carreira. Mas também é verdadeiro para quem vai pelo inglês geral.

Algumas instituições e cursos exigirão comprovação de competência ou proficiência em inglês. Logo, se o seu inglês já está em um nível interessante, você pode optar por fazer um curso rápido voltado a passar em algum dos testes mais aceitos: Toefl, Ielts, CPE, etc…

O futuro

Falamos aqui de um tipo de experiência que pode render excelentes frutos no futuro, tanto do lado profissional quando do pessoal. Você conhecerá pessoas do mundo todo, vai aprender algo importante para o currículo e vai se sentir mais seguro e preparado para uma vida bem-sucedida.

Por isso, é importante considerar o seguinte: que opção de intercâmbio poderá me trazer mais benefícios? Para responder essa pergunta, é importante que você considere o seu bem-estar e os requisitos de sucesso da sua carreira. Assim, se um curso que parece mais apropriado está num lugar em que você não se imagina, talvez seja melhor encontrar esse equilíbrio.

 

No Instituto Mindset, nossos profissionais estão preparados para te ajudar nessa importante decisão. Venha conhecer o que o Instituto Mindset pode fazer por você e por sua carreira!

Quer saber mais sobre nossos cursos?

Quer saber mais sobre nossos cursos?



Home >

Conheça o Instituto

em um dos cursos?

Agende sua reunião gratuita!






X

Conheça o Instituto

Agende sua reunião gratuita!
Agendar minha reunião
Teste seu inglês!
Venha testar seu nível de inglês
Saiba mais! X